Direitos de pessoas com deficiências será discutido em Imperatriz
30 de outubro de 2017
Barreirinhas: MP aciona prefeito e secretária de Educação por calendário letivo fictício
31 de outubro de 2017

Senado pode colocar mais 500 mil profissionais em situação de desemprego

Como se já não bastasse a tão falada crise econômica, o Senado Federal ainda cogita a possibilidade de acabar de vez com mais uma condição de renda da população brasileira.

Na próxima terça-feira, 31, entra em votação no senado a PLC 28/2017 que pode colocar fim nos aplicativos que facilitam a mobilidade urbana com preços mais acessíveis.

Os senadores alegam a necessidade de regulamentar o serviço de transporte remunerado privado individual de passageiros, porém, as medidas que serão votadas, se aprovadas, podem extinguir este aplicativo que além de empregar 500 mil motoristas, auxilia 17 milhões de pessoas em todo Brasil.

Conheça algumas das medidas:

  • Exige que os veículos tenham placas vermelhas iguais às dos táxis;
  • Autoriza os municípios a proibirem os apps quando quiserem;
  • Faz com que os motoristas parceiros precisem de uma autorização específica, que pode ou não ser concedida;
  • Todos os motoristas precisam ter veículos próprios – não se pode dividir com seus familiares ou alugar carros;
  • Proíbe os veículos de circularem em cidades vizinhas, como em regiões metropolitanas;

Diante de tantas exigências o que é possível concluir é que a proposta obriga os prestadores de serviços do Uber a se tornarem taxistas e, o que é pior, de forma mais burocrática ainda.