Investigada desde 2014, Hytec não fornecia água potável aos trabalhadores
O Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) ajuizou uma ação civil pública em face da Hytec Construções, empresa responsável pela pavimentação asfáltica da rodovia MA-127, que liga as cidades de Caxias e São João do Sóter. A ação cobra o pagamento de R$ 2,5 milhões de indenização por dano moral coletivo e o cumprimento da legislação trabalhista.
Segundo o procurador do Trabalho responsável pelo caso, Marcos Duanne Barbosa de Almeida, as investigações começaram em 2014. Na época, uma inspeção no canteiro de obras flagrou 74 operários da construtora sem carteira de trabalho assinada, sem equipamentos de proteção individual e sem acesso a instalações sanitárias adequadas.
Sem água filtrada
A empresa também não fornecia água potável e refrigerada em copos individuais e nem concedia vestimentas de trabalho apropriadas. Não havia vestiários, a jornada de trabalho era irregular e alguns empregados recebiam pagamento inferior ao salário mínimo vigente.
“As condições de trabalho a que os trabalhadores estavam expostos configuravam risco à saúde, segurança e higiene laboral, afetando, portanto, o meio ambiente de trabalho”, explica Marcos Duanne, que ainda apontou o descumprimento de vários dispositivos da norma regulamentadora que trata do meio ambiente de trabalho na indústria da construção (NR-18).
Na ação civil, o MPT-MA pediu o cumprimento das seguintes obrigações: cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; providenciar vestiários e instalações sanitárias de acordo com a NR 18; fornecer EPIs, vestimentas de trabalho e água potável, filtrada e fresca aos empregados; observar o limite da jornada laboral de oito horas e 44 horas semanais; abster-se de admitir trabalhador sem anotação na carteira e de efetuar pagamento de salário inferior ao mínimo, ao piso da categoria ou a outro valor estipulado em convenção e acordo coletivos.
Além de requerer a antecipação de tutela, o MPT-MA pede a aplicação de multa diária de R$ 10 mil por obrigação descumprida, acrescida de R$ 5 mil por trabalhador flagrado em situação irregular. Tanto o valor das eventuais multas quanto os R$ 2,5 milhões de dano moral coletivo serão destinados ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).
A ação é acompanhada pela Procuradoria do Trabalho de Caxias e tramita na Vara do Trabalho desse mesmo município. A Hytec Construções está sediada em Brasília (DF)
18 de julho de 2017

MPT pede R$ 2,5 milhões em ação contra construtora que pavimentou a MA-127

Investigada desde 2014, Hytec não fornecia água potável aos trabalhadores O Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) ajuizou uma ação civil pública em face da […]
17 de julho de 2017

Seu Chico, Jacqueline e o poder das mídias em favor do bem

A informação está em todo canto e, cada vez mais, invade nossas vidas das formas mais variadas. A bola da vez no mundo da publicidade são as mídias digitais, […]
17 de julho de 2017

Semana de Estudos Africanos acontece em São Luís 

Começou nesta terça feira (17) a Semana de Estudos Africanos, que tem como tema a África em suas múltiplas linguagens, no auditório do prédio de Arquitetura […]
17 de julho de 2017

Carne clandestina é apreendida em Paulo Ramos

A Polícia Militar não informou a data da operação. A pedido do ministério público da cidade de Paulo Ramos – MA, uma equipe da polícia militar, […]