Assecom/ Dep. Bira do Pindaré

O deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) destacou, na manhã desta quinta-feira (27), a importância da Greve Geral que acontece nesta sexta-feira (28) como parte da agenda da Mobilização Nacional contra as propostas do Governo Federal com a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista, os projetos de Lei das Terceirizações e das Privatizações.“A classe trabalhadora, através das centrais sindicais, está se mobilizando para fazer este movimento nacional e legítimo contra esse pacote de maldade de um governo que não tem o respaldo do sufrágio universal, que é o voto”, afirmou.

Para o parlamentar, as medidas, que estavam superadas desde a década de 90, voltaram agora com força em razão da circunstância política do Brasil, mas não resolvem de maneira alguma o problema da crise econômica. Ele destacou que o modelo de politica neoliberal já demonstrou a ineficiência no que diz respeito a gerar oportunidades a população.

“É lamentável que o Brasil tenha que andar para trás dessa forma. É um canto de sereia, uma enganação, que não vai resolver os problemas do país”, afirmou ao lembrar que a agenda sempre esteve colocada como interesse de uma classe que está no topo das forças econômicas do Brasil buscando uma forma de implantar as medidas que ferem de morte, de acordo com o deputado, direitos historicamente conquistados pelas trabalhadoras e trabalhadores brasileiros.

O deputado Bira lamentou também a aprovação da Reforma Trabalhista na Câmara Federal, em Brasília. Com voto pela aprovação da maioria dos deputados da bancada do Maranhão, a medida tem, no cerne, a mudança e violação da Consolidação das Leis de Trabalho (CLT). Segundo pontuou ele, destruindo uma conquista histórica dos trabalhadores desde os tempos de Getúlio Vargas.

“A CLT atravessou a Ditadura Militar – uma das páginas mais tristes da nossa história, e ninguém teve coragem de mexer, mas, agora, em pleno século XXI, chega um governo sem a legitimidade popular e simplesmente diz que os acordos dos patrões com os empregados devem ter mais valor do que a CLT. Isso é destruir toda uma estrutura que sempre deu proteção ao trabalhador brasileiro”, afirmou.

Ele acrescentou que lamenta o voto favorável da maioria da bancada federal maranhense, sobretudo, porque no Maranhão quase 40% da população vive de atividade rural, e ele próprio foi testemunha do trabalho escravo, da precarização extrema das forças de trabalho no interior do estado do Maranhão.

“Portanto, essa reforma não melhora a vida das pessoas. Pelo contrário, dificulta muito mais porque muitas vezes esses acordos entre patrões e empregados não passam de um conchavo, de uma cooptação. Nós sabemos como é esse processo e a ascendência que tem o capital sobre o trabalho. Não podemos ficar omissos. Portanto, fica nossa declaração de apoio e empenho para que as mobilizações possam ter êxito e que a voz do povo possa ser ouvida”, declarou.

Bira ainda cumprimentou os representantes da Igreja Católica, a CNBB, passando pelos bispos e padres que hoje estão na mobilização dos seus fiéis e da população em razão dessas medidas.

“Cumprimento também o Papa Francisco que não mede esforços para endossar essa luta do povo brasileiro. Portanto, não é uma luta isolada, não é a luta de uma corporação, não é a luta de um gueto, é a luta de um povo, de toda uma geração, de toda uma gente espalhada por este Brasil que não aceita ter seus direitos atropelados”, concluiu.

29 de abril de 2017

Mobilização Nacional: Bira declara apoio a Greve Geral que acontece nesta sexta

Assecom/ Dep. Bira do Pindaré O deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) destacou, na manhã desta quinta-feira (27), a importância da Greve Geral que acontece nesta […]
29 de abril de 2017

Humberto Coutinho recebe lideranças políticas de Passagem Franca

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT), recebeu nesta quarta-feira (26) uma comitiva de lideranças políticas do município de Passagem Franca, formada pelo prefeito Marlon […]